09 julho 2009

Em que mundo nós estamos?!



O trabalho hoje foi puxado. A enfermaria silenciosa. Os pacientes calados. Os profissionais curiosamente mais falantes. Costumo dizer que no meu local de trabalho que ele se parece com o filme "Como se fosse a primeira vez". Todos os dias conheço as pessoas e as conquisto. No dia seguinte elas já não me conhecem. Começa tudo de novo. Cansativo? Às vezes. Mentira. Quase sempre. Há dias em que eu me adapto. Em outro eu insisto e me faço presente. Não sei ser invisível. Não gosto de ser. Acho que ninguém devia ser. Quero imprimir minha marca em cada contato. Talvez por isso ache que todo mundo é insubstituível. Cada partícula que se chama gente é unica. Inconfundível. Irreplicável. Pensamentos demais. Energia de menos. Casa.Um banho restaurador e a ansiedade para aplacar a fome. Sento-me em frente à TV. O noticiário me atualiza. Menina de 13 anos sai com a mãe para comprar seu presente. Tiroteio. Baleada no dia de seu aniversário, a menina não resistiu. O noticiário segue. Uma desavença entre crianças pequenas. O que? Pouco importa. O saldo. Grávida de gêmeos, a mãe das crianças leva 14 facadas na cabeça e encontra-se em estado grave. Três das crianças tb foram esfaqueadas e mortas. Vai melhorar. Será? Sala de aula. Desavença entre 2 alunas por causa de toque de celular. Namorados se metem. Todos vão pra casa. Cinco homens invadem a casa onde estavam uma das meninas e o namorado. Ela foge. Ela recebe 3 tiros de fuzil e morre. O telejornal termina. O nó na garganta me impede de comentar. O mundo está ao contrário e ninguém reparou. Ou não pode reparar. Ou não quis reparar. Ou não teve tempo. Ou nem mesmo se importa.

4 comentários:

Josilene disse...

Sim.... o mundo está de cabeça pra baixo e ninguém parece se importar... pena...

Fritas disse...

Aff...já viciei nesse seu blog...Agora assume que é dona do outro tb, plis...hihihi


Ok...texto lindo, fia...poxa...

"Há dias em que eu me adapto. Em outro eu insisto e me faço presente. Não sei ser invisível. Não gosto de ser. Acho que ninguém devia ser. Quero imprimir minha marca em cada contato. Talvez por isso ache que todo mundo é insubstituível. Cada partícula que se chama gente é unica. Inconfundível. Irreplicável."

Uau!!!!

E sim..o mundo tá perdido...essa do toque do cel..aff..sem comentários...tudo é descartável hoje em dia...até as pessoas...isso é triste pacas...nada mais importa, ninguém tem valor pra ninguém mais.

Maurício disse...

Lindo.Simplesmente lindo post.
Parabéns Nay.

Ilmaralina disse...

"Ou não pode reparar. Ou não quis reparar. Ou não teve tempo. Ou nem mesmo se importa."

Ou talvez seja tudo isso junto. Amei!


bjos