04 setembro 2009

Sobre coisas e pessoas estranhas...

Olá pessoas,

pra variar a temática do buzu, vou falar da outra variante que adoro...weird people!!!

Minha gente...a secretaria do meu curso é uma das pessoas mais estranhas que eu já conheci. Sim, ela é legal, mas tem horas que...pela madrugada! Como é chata!! Agora minha faculdade acaba de sair do paleolítico e adotou a matrícula web....mas em vez da criatura mandar um e-mail com todas as informações...nãooooooo ela manda uma mensageme a cada meia hora! Só o pai....

Ainda sobre a essência da estranheza....

Há muitas eras atrás…li na revista capricho uma matéria que me deixou meio deprê. Ela falava do fim da amizade; do lance de que um dia, aquele grande amigo do colégio se transformaria num ilustre desconhecido pra você ou, na melhor, das hipóteses, numa vaga lembrança em meio a tantas outras.

Cara, aquilo me feriu profundamente e eu achei que era a coisa mais absurda que poderia ter sido escrito...mas, o tempo é o senhor da razão...e hoje, a despeito das inúmeras babaquices que a Capricho diz....vejo que é verdade. As amizades terminam, por mais que isso no doa.

Às vezes elas vão acabando aos pouquinhos, como a areia de uma ampulheta que se esvai e, quando você se dá conta, já foi, já passou e aquela pessoa que conhecia todos os seus gostos, ria e chorava com você....se tornou um estranho de quem vc tem apenas vagas e distantes noticias.

Isso aconteceu coimgo e por mais que eu veja que no orkut consta “boa amiga”, sei que isso não somos há um bom tempo e o mais estranho...não faz a falta que eu achei que faria.

Finalizando com mais um degrau na escala da estranheza...

No meu trabalho foi inventado um tal de Espaço Conviver.

Parênteses on:

Devo salientar que cada vez que escrevo sobre coisas do meu trabalho, meu sensor paranóico, que fica bem ao lado do sensor de TOC, à esquerda do sensor de ironia e na frente do sensor de veneno, é ativado. Sim, pessoas do meu trabalho lêem /podem ler este blog...mas, eu costumo falar apenas a verdade, nada mais que a verdade, além do mais não é minha intenção ofender ninguém...so...do que eu falava mesmo?!

Parênteses off:

Ah, sim, o famigerado espaço conviver. Vejam bem, o lugar pipoca de conflitos pessoais velados e o povo quer consertar com um espaço artificial de convivência “pra gente se conhecer melhor e se integrar”.
Faça-me o favor...quem quer se integrar, se integra até em fila de banco, minha gente! Mas, ok, sure, fine, whatever..esta idéia tenebrosa deveria ocorrer a cada 15 dias, alternando entre Quarta e Quinta pra contemplar todos os profissionais do setor.

Eu, com minha cara de Judas, trabalho nos dois dias...so...participava ativamente do espaço conviver. Só o pai. Mas como Jesus é bom ...e me ama, um boicote, igualmente velado, está sendo feito...e nunca mais este troço ocorreu. Ninguém pergunta pelo espaço conviver. Curioso. Pelo visto...não sou só eu que acho isso uma idéia de girico.

Pra mim, a convivência bacana é aquela que ocorre naturalmente quando nos encontramos de manhã cedo...na volta do almoço...perto da hora de ir embora...ou em qualquer outro momento em que 2 ou 3 estejam reunidos na sala (isso ficou meio Bíblico, né? rs). Aí sim damos boas risadas..de tudo e de nada. Das lembranças de infância, do apelido do sorveteiro, dos resultados do futebol, da novela, das baixarias musicais, até de Vanusa cantando (oi?!) o Hino Nacional. Comemos. Fofocamos. Falamos besteiras, vemos filmes, enfim. Convivemos com quem gostamos e ficamos à vontade de fato.
Por favor, não me peçam diplomacia e simpatia forçada. Desci ao mundo sem esses opcionais.

Até mais!

P.S: Ouvindo "Save the last dance for me"......Michael Bublé…sim fio, eu guardo…

Um comentário:

Josilene disse...

Olá Bracho.má!

1. Sim, desci do meu reader para abrir de verdade a página de um blog pq duvidaram de minha constância aqui... aff... estou provando que sim eu leio. hihihi

2. Estranho é bom. Fato. Quem não tem uma estranheza em si é normal, comum... e o vulgar é chato, morno. \o/ (Presente)

3. Tb O-D-E-I-O coisas forçadas... chego ao cúmulo de desgostar de algo que eu amo se tentarem me impor aquilo.

4. Qto às amizades perdidas... sabe aquela música que compara o que vc tinha/gostava a dez anos atrás? Putz.... ela é verdadeira demais. Ela fala não apenas da amizade, mas de amores, segredos, sonhos... Enfim, o que seria vital pra vc a dez anos atrás, raramente ainda é tão importante hj. Eu pelo menos ainda posso me dizer feliz em ter amigos dessa época (e quase com a mesma intensidade de carinho, apesar da famigerada distância).

5. Aff... escrevi demais... bye.