31 janeiro 2010

E daí que na sexta feira fiz um programa diferente. Bota diferente nisso!

Fui ao Zôo...com mais 3 amigas surtadas que toparam isso...kkkkkk

Er..devia ter uns...tipo...uns 20 e lá vai cacete de anos que eu não ia lá...isso ficou evidente quando eu subi arfante as escadarias e rampas....Jesus me defenda! Eu nem lembrava que aquilo lá era enorme! E lindo também...

Mas depois de muita risada, quase volta à infância....quando cheguei em casa e fui ver as fotos, me bateu uma certa deprê...bichos estranhos somos nós humanos, que pra apreciar a beleza temos que mantê-la cativa. Será que ainda assim ela continua a ser beleza, ou permanece apenas uma sombra do que já foi?

Vi uma matéria que alardeava a restauração do zoo. Os grande felinos agora não ficariam mais em jaulas, mas em um local cercado de vidro. Oi?! Quer dizer que só porque em lugar de barras de ferro colocam vidro blindado, deixa de ser jaula?

Loucos....totalmente loucos somos nós e nossas lógicas arrevezadas.

Bem, os felinos são lindos, mas nem tchun pra gente. Bem feito...diversão medonha essa de ficar no BBB animal...a onça preta dormiu o tempo todo...e de costas pra mostra de modo enfático sua indiferença. A onça pintada se mandou pro terraço de onde só víamos um pedacinho da cabeça. O leão chega roncava.

Deve ser a apatia que o cativeiro provoca...pra depressão nada melhor que dormir e ser atravessado pela pressa do mundo, né não?

No espaço das cobras, vi um amontoado de gente...e vcs sabem pra que? Pra ver o mundo cão ao vivo....um funcionário do zoo dando um ratinho..ops...um lanchinho pra pithon. Crianças estranhas essas de hoje...elas vibravam com a cobra abocanhando o pobre. Depois matam pai e mãe e ninguém sabe porque!


A volta do buzu trouxe cenas interessantes, como sempre. Lá no meio do caminho um cara pediu carona ao motorista, que gentilmente cedeu. Ele, maltrapilho e imundo, disse que faria uma demonstração e depois contaria com a ajuda de todos para aplacar sua fome. Sacou 2 cocos verdes, já sem água, os quais começou a descascar..no dente...ante os olhares perplexos dos passageiros, o homem, entre caras e bocas que denotavam tremendo esforço, executou sua demonstração e em seguida repetiu várias vezes que fazia aquilo por estar com fome e por isso precisava de ajuda.

É a miséria restringindo o sujeito à condição braçal, quase de bestialidade, como único recurso de sobrevivência, mantendo-o cativo às suas necessidades básicas. Estes homens sonham? Desejam? Com o que sonham?

Hoje de manhã era outro o personagem mas a miséria era a mesma...o que pensava aquela jovem mãe sentada na calçada, em meio à sujeira citadina, com seu bebê entre as pernas? Será que ela ainda sabe sonhar? Ou eles já se perderam assim como seus traços juvenis já tão diluídos nas marcas  da rua?

“Já sei namorar, já sei chutar a bola agora só me resta sonhar...”. Quando já sabemos muitas coisas do mundo real, só nos resta fugir para o mundo ideal...mas e quem tem apenas o concreto....faz o que?

Nenhum comentário: