16 março 2010

Retratando-me...

Vocês se lembram que um dia fiz um post falando sobre o novo cd de John Mayer, o Battle Studies?

Mais especificamente, vocês lembram que eu disse que o cd era horrível, que eu salvaria, no máximo, umas duas músicas?

Pois é, vejam só como são as coisas.

Quem me conhece um pouco melhor sabe como é minha relação com os objetos e as coisas que gosto, minhas pequenas, porém caras manias: intensa, passional, humanizada...as minhas coisas quase têm personalidade....às vezes elas têm nome, uma história...e não basta que me digam sobre algo, que me indiquem...precisa haver um encontro...é algo bem semelhante ao que acontece com as pessoas.

E daí que quando eu comecei a ouvir as músicas desse artista, foi amor à primeira vista. Eu nem sabia que cara ele tinha, se era novo, velho, bonito, feio, mas aquela voz me pegou e não me soltou mais...as letras, as melodias...eu queria ouvir o dia todo de tão bom que era...e de fato, cada tempinho livre que eu tinha, lá estava com o mp3 em punho ouvindo JM. Tava quase beirando uma obsessão tal qual o apaixonamento romântico (creiam..eu era um pouco pior do que agora..rs...), mas passando o momento de euforia inicial onde tudo era lindo e perfeito, eu fui conhecendo melhor as nuances, as músicas que gostava mais, entendendo as letras, gostava e desgostava, achava um detalhe diferente, outras versões pra comparar, pensava no que ele queria dizer ou o que pensava com aquela exata composição de palavras. Quando ouvia muito, enjoava, como a gente enjoa e se sente sufocado, às vezes, de tanta presença do outro....mas quando diferente de outras músicas de JM...que eu ouvi uma vez só, me encantei e virei deixava de ouvir, sentia saudades...sim, minha gente, eu sentia saudades das músicas e da voz...alguém já sentiu isso? Alinda bem que o nome do blog já avisa...porque senão, vcs iam achar que eu sou doida...ou melhor, teriam a confirmação!

Já o Battle foi outra historia, precisou de um tempo maior, de mais paciência, de um momento certo...parece aquelas pessoas com quem a gente convive durante séculos, mas não tem química nenhuma...só que vai lá um dia...e click! Quem sabe em um dia de conjunção astral favorável, sei lá..rs...a coisa aconteça...Foi preciso um dia de bom humor mesmo sem causa especial...um engarrafamento fenomenal...um ônibus vazio propicio a esticar as pernas... e uma paisagem bonita no cair da tarde... eu olhei pro Battle.. ele olhou pra mim...do estranhamento inicial surgiu a curiosidade..a atração...a descoberta...um esboço de sorriso aqui.... uma surpresa ali.... um cativar demorado, calmo e seguro...nos entendemos e nos integramos... apaguem de suas mentes tudo que eu disse. Battle Studies é um dos álbuns mais bonitos de JM...sensível, doce, nostálgico como ele bem sabe ser.... e intenso... contrastando melodias leves com letras, algumas vezes, densas, ele mexeu comigo... e me fez ser ainda mais fã desse cara. Não me importa se ele fala besteiras ou se dá chance pra ser mal interpretado... eu gosto de espontaneidade e de gente que não finge ser Deus... porque Deus há apenas um...e ele certamente é humilde.

Nenhum comentário: