07 março 2010

Sobre a estupidez humana...

Que nós humanos somos completamente estúpidos..eu já sei. 

Mas parece que, às vezes, eu esqueço. Acontece que sempre tem alguma situação que me traz de volta a lembranças a nossa imensa capacidade de unir imbecilidade à arrogância. Aliás...já notaram que a arrogãncia é uam característica sempre presente nos imbecis?

No programa Domingo Espetacular acaba de passar uma matéria sobre a morte da treinadoraa, no incidente com a orca Tilikum no Sea World.

O interessante é que ao mesmo tempo em que eles se esforçavam por mostrar que as "baleias assassinas" são assim chamadas de modo errôneo e cruel, eles mostravam cenas e situações que diziam nas entrelinhas..exatamente o contrário! (as entrelinhas em bastante claras....às vezes eram linhas mesmo!)

Exemplo: "Não acho que a treinadora fosse o alvo. Tilikum só quis continuar a brincadeira...mas as orcas costumam  brincar com suas caças também"

A matéria apresentou a treinadora como a mais experiente do parque e logo em seguida dizia que orca era  não só a maior de sua espécie em cativeiro, como também a mais perigosa. Um verdadeiro duelo de gigantes. De titãs: de um lado a baleia gigante assassina...do outro a poderosa e segura treinadora. Um encontro desses não poderia mesmo dar certo. 

Seria cômico se não fosse trágico. E eu tive mesmo vontade de rir quando um dos treinadores, relatando o ocorrido, disse que em dado momento a orca assumiu uma postura selvagem.  Oi?! Alguém avisa urgentemente pra ele, que a despeito do confinamento num tanque a orca É SELVAGEM! Confesso que pensando nisso agora, eu ri, mas foi um riso amargo, frio, irônico perante tamanha ignorância do único animal que mata apenas por prazer.

Pra fechar com chave de ouro, um dos funcionários do parque exalta as funções do mesmo. Ele afirma que não é apenas um parque diversões, mas um centro de pesquisas onde estão testando a possibilidade de inseminação artifical como forma de evitar a extinção das orcas.  

Nossa! Que grande serviço! Fiquei emocionada. As orcas deveriam  nos agradecer, porque afinal, primeiro as caçamos e matamos e agora lutamos para que não sejam extintas. Quanta nobreza em buscar solução para um problema quje nem e xistiria se não tivesse sido criado...por nós!


 Não sei se é pelo fato de ter uma simpatia especial pelas orcas, ou se porque animais em cativeiro sempre mexem comigo.

Quando criança eu fui assistir o show do Sea World quando eles vieram ao Brasil com um show itinerante. Lembro de ter tomado um banho por causa da batida de cauda das orcas.

Foi naquele dia que me encantei por elas.

foi também naquele dia que percebi o quão cruel era o cativeiro. 


Sinto pela morte trágica da treinadora. Mas também sinto imensamente pela orca, mostrada hoje apática, dormindo no tanque em que é cativa. Senti ainda mais quando ouvi na matéria que Tilikum tem 30 anos, 7 metros, 6 toneladas...nasceu livre, mas foi capturada ainda filhote e levada para o Sea World. Uma vida interia prisioneira em um tanque servindo de atração para humanos míopes. A orca que fez Willy em Free Willy morreu de pneumonia. 

Quem sabe o que ocorrerá a esta. Mas acho que qualquer coisa é melhor que ser cativa.

Nenhum comentário: