20 abril 2010

Essa imagem eu retirei de algum dos milhares de blogs que leio pelas esquinas da internet, mas não lembro qual foi, por isso me desculpem pela falta de referência.

Pq eu postei esta foto abrindo o post?

Pq ela quando pensei no quanto eu respirei fundo e contei até 10 no meu trabalho hoje, o pensamento bateu direto com ela...

Eu gosto do meu trabalho por vários motivos:
- tenho estabilidade
- atua na minha profissão
- sinto que faço diferença
- tenho liberdade de atuação
- tenho uma colega de setor super parceira
- tenho colegas muito bacanas

Mas ao mesmo tempo, muitas outras coisas estão me deixando cada vez mais chateada.

Que o serviço público é travado, tem várias falhas, e que muitas destas poderiam ser corrigidas apenas se as pessoas assumissem as suas responsabilidades, eu sei. 

Que não se pode conviver apenas com quem a gente gosta, eu tb sei.
Que as pessoas não podem realizar tudo que imaginam...ok....conhecido tb.

Não é nada disso que me incomoda...

o que me deixa frustrada, irritada,chateada, decepcionada, desmotivada e entediada é ver a capacidade que certas pessoas têm em ser cínicas.

Sim, cinismo é uma boa palavra pra definir o que aconteceu hoje..e que não foi nada extraordinário, dentre as coisas absurdas que acontecem dia após dia.

Ok. Eu não sou uma pessoa fácil. Eu tenho um humor que oscila quase do mesmo modo que o vento muda de direção. Mas eu tenho o costume de fazer (verdadeiramente) o exercício de examinar minhas ações, de tentar ser a terceira pessoa na situação pra avaliar se tive razão ou se fiquei míope e tive atitudes que poderiam ter sido diferentes.

Hoje eu me destemperei...eu sei, mas eu não estou mal com isso...ao contrário..pela primeira vez em 4 anos trabalhando lá, eu me sinto leve...e o mais curioso: exatamente no dia em que eu disse com todas as letras qeu não queria dar minha opinião, não queria me meter, não achava valer a pena gastar energia com coisas que nunca mudavam. Não achei que tenha sido uma atitude conformista, mas sim uma defesa do meu direito de sai de cena, de deixar de ser a palhaça no picadeiro que sempre se arma naquele ambiente.
As asituações sempre têm os mesmo protagonistas e o mesmo diretor de cena....este, sempre faz cara de paisagem, e, assim como Lula, nunca sabe de nada.

Eu não estou aqui pra mostrar à pessoa algo que ela sabe e com o qual compactua.
Não estou aqui pra ver o cúmulo da pessoa se dirigir a mim com suas lágrimas de crocodilo dizendo gostar e mim e precisar da minha ajuda. Mas me chamando de hostil e levantando inverdades sobre minhas atitudes.
Alguém que acha que com sua voz mansa, pode me dobrar e me fzer entrar na sua manipulação, sempre feita pela paparicação.
Quem gosta de mim, me respeita.
Quem sabe o que é resposabilidade, as cumpre.
Deve ser líder, quem tem capacidade e brios para sê-lo.


"Para ser grande, sê inteiro"
É isso que eu definitivamente quero ser...grande..inteira.....

Hoje eu disse um não numa situação simples, mas crucial....e foi um não com peso de sim...leve....seguro...firme....e direto....como eu faço questão de ser.

"E se me achar esquisita, respeite.
Até eu fui obrigada a me respeitar"

(Clarice Lispector)


Um bj!


Um comentário:

ou Alívio? disse...

Minha querida Bracho (ouso-me a tratar-lhe assim no mundo virto-real),
só há um caminho para continuar sendo você, seguindo e defendendo suas idéias, pontos de vista e porquê não vontades íntimas e particulares, como fizeste na manhã fatídica de hoje: sendo honesta e verdadeira consigo e demais, custe o que for, e nisto você é um ás. Orgulho-me.
Se existe "vergonha alheia", sua antítese está aqui.
Falta mesmo, falta paciência, gerência, retidão, clareza, bons modos, educação... Compartilho do tédio.
É um esforço, é meu ganha-pão, amo meu trabalho, graças a isto, e por rarissimas pessoas, no ato e no verbo, e todos os pacientes, sei não...
Fica com Deus.