28 maio 2010

Comportamento bizarro...

Eu sou uma pessoa curiosa. Fato. E isso me faz gastar horas pensando em como certas coisas começaram a existir....não, queridos, leitores, não pensem que me atenho aos dilemas mais complexas da existencia humana.....sinto dizer-lhes, mas assim como perco horas pensando em como surgiu a vida na Terra, como as espécies evoluíram, quantos mistérios guarda a cadeia de DNA.....também me perco imaginando como alguém chegou a descobrir que empanar as comidinhas fica delicioso...

Sim, eu sou uma pessoa de pensamentos estranhos...rs...mas isso vocês já devem ter notado, afinal, o nome do blog é dignidade não cabe aqui ...e eu não costumo poupá-los da exposição às minhas ideias...er....digamos....excêntricas...

Enfim, dentro da categoria de coisas curiosas que me intrigam está um fato surreal e que, certamente já mecnionei aqui, mas, por motivo de força maior, tenho que retomar:

As pessoas que ouvem música sem fone no ônibus

Eu não sei se isso acontece na cidade de vocês (espero profundamente que não, mas....se não chegou..ainda vai chegar...por isso, temei!), mas aqui em Salvador parece moda...você entra no ônibus e ouve um barulhinho...aliás, barulhinho é eufemismo meu...você ouve um trio elétrico e é tentado a imaginar que o som vem do carro ao lado do bus, ou de uma loja..enfim, você faz um esforço enorme pra acreditar que não é de dentro do TRANSPORTE COLETIVO! Mas, pasmem....é no transporte coletivo sim...

Praticamente todos os dias tem pelo menos uma pessoa com o celular na mão ouvindo música sem fone. Tem de tudo, rock, arrocha, pagode 

Congela:

(não, eu não tenho dados precisos que sirvam de base para esta afirmação, ma pelas minhas observações, pagode é disparado o ritmo mais tocado...tenho pra mim que assim como os evangélicos acham que Jesus deve ser surdo, já que eles gritam tanto, os pagodeiros acham que a música deles só pode ser ouvida assim...eu tenho uma teoria do porque disso....acho que com a  música altíssima eles se livram do fardo de ter que empreender um dialogo..sabe, aquela coisa de frases encadeadas, coerentes, mais de 3 palavras....etc...então trocam uma possível conversa, pela músicas altamente memorizáveis, já que não contam com mais de 5 palavras repetidas ritmadamente...)

Descongela:

Aí eu me pergunto: quem foi o primeiro a fazer isso? Ele achou que seria legal passar por cima da coletividade e impor sua vontade musical? E a cena é bizarra porque é 1 tirano contra não sei quantos obrigados a ouvir aquilo! Eu entendo que hoje a gente nem pode mais reclamar das coisas, porque pode levar tiro.....mas eu não me conformo!

Um demente inventou....milhares seguiram....

Ontem  a tortura fio elevada á máxima potência. Creio que se eu tivesse feito reféns, nem mesmo o mais duro dos juízes me condenaria. Eu tive que ouvir, durante todo o trajeto do trabalho pra minha casa (e quem me conhece sabe que é longe!):

Mariah Carey...

Minha gente....isso é demais...neste caso, dizer que eu fui submetida à tortura psicológica não é exagero, é?


Um comentário:

Jade disse...

Eu quase já virei para um ser e falei "quer meu fone?".
acho uma falta de coletividade sem tamanho, p aqui além deles deixarem o show alto as vezes(como é em celular) fica distorcido,ai fica só barulho(ou a música é só barulho..vai saber) o pior que aui tbm ou é pagode ou é funk.
a solução é vc(com seu fone de ouvido) escutar sua música,pq educação está em falta no mundo.