12 setembro 2010

Labirinto

Essa clareza sufocante
Essa vontade sei lá de que
Essa ânsia inquietante de quem não sabe o que dizer

Como pode vida de menos parecer tempo demais?
Como podem os dias converterem-se num eterno stand by
Como pode o meu eu fazer as pazes com o outro há em mim
Encerrando um insuportável correr sem fim

Quantas barreiras terei que saltar?
Quantos fantasmas precisarei exorcizar?
Até quando terei que esperar as forças necessárias
para do estranho opressor fazer nascer o aliado libertador?

Um comentário:

Aquela que se deixa levar pelos sonhos disse...

perguntas que não querem calar... acredito que são poucos os que conseguem respondê-las, se é que conseguem, e ainda assim, apenas para eles.
Só nos resta continuar tentando, nadando até a exaustão para a costa... ou quem sabe parar um pouco de bater as pernas e se deixar levar na dança das ondas...