28 setembro 2010

Se sorriso tivesse cor, seria malva....

Olá pessoas, tudo certinho?

Todo dia quando eu abro a internet (sim, eu falo abro a internet porque para mim é como se fosse uma porta que eu cruzasse pra chegar a um outro mundo...sabe aquele filme O jardim secreto? A imagem é bem essa!) em casa (pq no trabalho praticamente tudo é bloqueado), sigo um ritual de visitas aos sites...uma coisa metódica mesmo, pois todos os dias é a mesma sequênai...quase TOC...rs. São 3 janelas: Gmail, orkut, site de algum jornal.

Logo depois de saber se alguém lembrou de mim, se já há novidades das minhas séries amadas e quantas anda esse mudo louco de meu Deus....eu venho aqui no blog. Olhada 1: quantos visitantes no dia anterior. Ok, eu sei, quantidade não significa qualidade....mas eu adoro ver os números subindo...rs. E fico imaginando quem são vocês..o que fazem, o que pensam, porque vêm aqui etc.

Olhada 2: Os blogs que acompanho. Vou clicando em cada um dos atualizados e milhares de janelinhas vão pipocando. Aí, vou lendo um por um. Me divirto com as imagens, com os comentários, me emociono etc. foi aí que outro dia eu li no blog Sweetest Person (um blog fofo, bem feito e uma delícia de ler! Visitem!) um post sobre relacionamentos. Não necessariamente de amor romântico, mas sobre o fato mais amplo de como se relacionar com as pessoas. O que a dona do blog falava era tão parecido com o que eu pensava, que me emocionou muito....resumindo bastante, ela dizendo que nunca havia sido uma pessoa do tipo que se orbigava a gostar das outras, ser amiga de todo mundo, de simpática com todas as pessoas....era como se ela não fizesse questão/permitisse que todo mundo se aproximasse...só as que por algum motivo, despertassem seu interesse...

Comigo acontece bem assim...eu nunca fui Open House, sabe. Por um tempo eu pensei que apenas não conseguia ser, que era tímida demais, fechada, e que isso era ruim, aliás, péssimo. Depois, me olhando mais de perto, eu notei que lá no fundo, eu nunca quis essa popularidade toda...isso nunca fez parte de mim e muitas vezes eu me forcei à simpatias que nada me diziam, ofereciam ou alegravam.

Claro que isso teve um custo...rs...rótulos de "metida", "misteriosa", "enigmática" etc me acompanharam a vida toda, embora eu nunca entendesse....eu sempre me achei tão simples, tão claramente compreensível...se eu gosto, gosto, se não gosto...não adianta forçar...não vou gostar. Não naquele momento. Não porque alguém quer. Não adianta muito você me dizer que tal banda é excelente. Talvez um dia eu me bata com uma música dela e acha fabulosa...ou não, mas vou precisar desse encontro.

E porque eu tô falando tudo isso. Porque hoje eu interagi.

Ownnnnnn nossa! Grande avanço! kkkkkkkkkk

Sério, hoje eu tive vontade de interagir, de bater papo. Fiz com vontade, com leveza, com riso largo e sem obrigação. Não sei se pela raridade com que isso acontece com estranhos ou se foi apenas um flash de delicadeza do universo, mas foi bom. Sabe quando tudo mundo vai se juntando...e falando....e rindo...rindo não...sorrindo....?

Pois é. Foi assim. Bom.

:)

Um comentário:

Fritas disse...

Isso deve ser bom...