28 abril 2011

A gente sempre se surpreende...

ainda mais quando pensa que uma coisa seria muito mais difícil do que de fato é.

Sobre as amarras das quais falei no post anterior...o fato é que resolvi cortá-las no final de semana que passou. Saí de um lugar que em algum momento foi muito importante pra mim, mas ao qual já não pertencia mais. Sabe quando você ama uma roupa, ela tem várias histórias, mas não te cabe mais? Pois era exatamente assim que eu me sentia: vestida numa roupa conhecida porém não reconhecida.

Eu já tinha tentado fazer isso em outra oportunidade, mas daquela vez havia sido de fato precipitado, por raiva, quase como um protesto: ei, estou aqui, me ouçam, me vejam. Beirou a infantilidade, eu sei, não precisa ninguém me dizer ou mesmo me olhar com censura silenciosa. Mas desta vez foi mais pensado, mais sereno e possivelmente por isso, muito mais fácil e tranquilo.

Opa, eu disse fácil? Eu menti. Fácil nunca é. Mas digamos que esteja sendo mais suave....mais calmaria que tormenta...e Deus sabe como costumeiramente eu sou tormenta...rs.

-----------

Acho que já deu pra notar aqui que eu sou apaixonada por séries de TV, né? Até meu trabalho de conclusão de curso foi sobre elas! É muito amor...rs. Um atrativo se deve ao fato de que, como elas se estendem por várias temporadas (as que duram, né? ), você tem a oportunidade de conhecer os personagens, de se identificar com eles etc e o curioso disso é que de vez em quando surgem situações ou falas que te fazem pensar na sua vida, nas coisas que você faz ou mesmo na sua forma de ver o mundo.

Agora comecei a ver Supernatural. Vejam como são as coisas....há séculos vejo as chamadas no SBT e me pergunto como tem gente que assiste àquela baboseira de caçar monstros....

...e cá estou eu, viciada totalmente nos episódios, sugando cada cena, rindo horrores com as tiradas sensacionais e me emocionando com a relação entre os irmãos Sam e Dean Winchester.

E foi exatamente uma das tantas conversas interessantes entre eles que me chamou atenção, quando Dean pergunta à Sam porque ele está sempre tão irritado com tudo e todos? Na hora pensei em mim...de fato, muitas vezes eu estou irritada e em algumas delas não sei nem o porque...

Ok...eu sei. rs. Isso soou um pouco Gollum, né? rs. Mas o que eu quero dizer é o quanto é importante a gente estar atento às pequenas coisas que nos causam grande irritação e questionar se essa irritação vale mesmo à pena....

Quanta energia seria poupada e melhor utilizada se eu pensasse apenas na grande verdade:

TEMPUS FUGIT.


Até mais! :)

Nenhum comentário: