31 maio 2011

Olá pessoas,

tudo bem?

Ainda estou de molho...rs. Mas melhorando!

E eis que ontem aconteceu uma coisa interessante. Mas deixa eu começar...do começo. 

Porque pessoas que claramente não gostam da gente, se aproximam, mantêm contato etc? 

Minha lógica é assim: você não precisa se obrigar a gostar de mim, até porque eu não vou me obrigar a gostar de vocês. Não se trata de "a primeira impressão é a que fica"...nada disso...até porque se eu dependesse da primeira impressão que causo...oh céus....estaria perdida! rs. Quase todo mundo diz que eu padeço da cara de patricinha...esnobe....metidinha...etc. 

O fato em questão é: não gosta de mim: Beleza. Não em ature. Fale comigo apenas o necessário. E me respeite. Sempre. Farei o mesmo com você.

Mas uma sujeita, que sabidamente não gosta de mim, sabe-se lá porque, insiste em falar comigo....finge simpatia e até me adiciona nas redes sociais, para de repente....não mais que de repente......cometer um ataque direto sem pé nem cabeça.

O ataque, apesar de claramente onfesivo, não em ofendeu...de verdade...isso até me surpreendeu...rs. Ele apenas me fez pensar que quando as pessoas falam ou fazem algo contra você, isso mostra muito mais quem elas são...ou o que puderam ser. Isso mostra suas dores, suas frustrações, sua raiva mastigadas mas não digerida. Esse episódio em si me mostrou que é bem possível que entre as muitas lágrimas derramadas em um evento no qual estávamos...não fossem tão somente de emoção.

O caso foi o seguinte: a  pessoa X elogiou uma outra Y que havia desempenhado a mesma tarefa que eu, mas ressaltou que essa pessoa Y havia sido brilhante e que ela gostaria que isso também tivesse ocorrido no evento por nós compartilhado. 

Resumo: ela precisava dizer que eu não havia sido brilhante. E ela precisava dizer isso numa rede social...três semanas depois....sabendo que eu veria...

É a elegância, minha gente, ou a falta dela que permite que coisas assim aconteçam ou não. Independente do fato de ter realmente achado isso...foi desnecessário, né? Eu achei. Não só porque foi comigo....mas se tivesse sido com qualquer outra pessoa.

E quando eu disse que não fiquei ofendida foi exatamente porque pensei que se ela teve tamanha necessidade....é porque ela pode até não ter me achado brilhante..mas certamente eu me saí muito melhor do que ela esperava! rs.

E aqui eu deixo um texto encontrado no blog www.descosturando.com.br ....um espaço lindo e inspirador....como a vida deveria ser sempre!


"Nunca o termo “chique” foi tão usado para qualificar pessoas como nos dias de hoje.  A verdade é que ninguém é chique por decreto. E algumas boas coisas da vida, infelizmente, não estão à venda. 


Elegância é uma delas. 


Assim, para ser chique é preciso muito mais que um guarda-roupa ou closet recheado de grifes famosas e importadas. Muito mais que um belo carro Italiano. 

O que faz uma  pessoa chique, não é o que essa pessoa tem, mas a forma como ela se comporta perante a vida.

Chique mesmo é quem fala baixo. Quem não procura chamar atenção com suas risadas muito altas, nem por seus imensos decotes e nem precisa contar vantagens, mesmo quando estas são verdadeiras.

Chique é atrair, mesmo sem querer, todos os olhares, porque se tem brilho próprio.

Chique mesmo é ser discreto, não fazer perguntas ou insinuações inoportunas, nem procurar saber o que não é da sua conta. 

Chique mesmo é parar na faixa de pedestre e evitar se deixar levar pela mania nacional de jogar lixo na rua. 


Chique mesmo é dar bom dia ao porteiro do seu prédio e às pessoas que estão no elevador. É lembrar do aniversário dos amigos. 


Chique mesmo é não se exceder jamais! Nem na bebida, nem na comida, nem na maneira de se vestir. 
Chique mesmo é olhar nos olhos do seu interlocutor. É  “desligar o radar” quando estiverem sentados à mesa do restaurante, e prestar verdadeira atenção a sua companhia. 
Chique mesmo é honrar a sua palavra, ser grato a quem o ajuda, correto com quem você se relaciona e honesto nos seus negócios. 

Chique mesmo é não fazer a menor questão de aparecer, ainda que você seja o homenageado da noite! 

Mas  para ser chique, chique mesmo, você tem, antes de tudo, de  se lembrar sempre de o quão breve é a vida e de que, ao final e ao cabo, vamos todos retornar ao mesmo lugar, na mesma forma de energia. 

Portanto, não gaste sua energia com o que não tem valor, não desperdice as pessoas interessantes com quem se encontrar e não aceite, em hipótese alguma, fazer qualquer coisa que não te faça bem. 

Lembre-se: o diabo parece chique, mas o inferno não tem qualquer glamour! 

Porque, no final das contas, chique mesmo é ser feliz.
Gloria Kalil"

Até mais!

Nenhum comentário: