17 julho 2011

Incoerências

Olá!

Ando pensando no porque de me esconder atrás de um pseudônimo aqui no blog...e, convenhamos, um bem ridículo: Paola Bracho. O porque dele é uma longa história e cá pra nós, como disse John Mayer....quando eu estive com humor, lhes contarei....

Hoje, no momento "leituras diárias dos blogs que amo" (os quais vocês podem encontrar na barrinha lateral e sair clicando como se não houvesse amanhã, porque são todos excelentes) vi no Carambolas Azuis um texto sobre coerência, mais especificamente um texto que falava do quão difícil é conseguir ser você mesmo em todos os lugares. Pausa para 2 detalhes:

1. o texto descamba para uma reflexão sobre o amor e tal e coisa....e sobre como é bom você poder ser você mesmo junto de quem se ama, sem fazer tipo. Não é disso que se trata a minha reflexão de hoje...rs.

2. Eu entendo, a partir de estudos sociológicos, antropológicos e psicológicos, que nós, humanos, acabamos por lançar mão de habilidades e comportamentos diferentes a depender do contexto em que estejamos inseridos e blá blá blá. 

Detalhes apresentados, a coerência em questão corresponderia àquela coisa sabe com quem você está lidando....sobre alguém ser confiável, mesmo que seja na sua imprevisibilidade.

Alguém entendeu o que eu quero dizer?

Ok, muitas vezes nem eu mesma me entendo...rs. Sem dramas.

Então, voltando à questão inicial: se este é o MEU espaço, nele falo das coisas que fazem parte da minha vida e dos pedaços que são infernalmente parte de mim mesma (#Clarice feelings)...porque não usar meu nome? 

Pra que não saibam quem sou eu e, consequentemente não identifiquem as pessoas/situações das quais porventura eu venha a falar/ mencionar?

E daí que saibam? E daí que identifiquem?

Não me fazendo ser presa...nem exonerada....nem implicando sofrimento a outra pessoa....acho que posso lidar com as demais consequências.

Eu acho....apenas acho....rs.....por isso...o nome Paola Bracho sumiu, mas o meu ainda não apareceu.

Tem muita gente curiosa nesse mundo. Eu conheço muitas. E eu sou uma delas. rs.  A diferença é que eu nunca tomaria satisfação/ questionaria algo que alguém que conheço coloca num blog porque acho que essa relação leitor-escritor (mesmo que seja de blog) deve guardar certos mistérios. É a graça. 

É isso. Até mais.

Nenhum comentário: