07 outubro 2011

Já fizeram alguma pesquisa sobre a influência dos blogs de moda, mais especificamente, aqueles de "look do dia" no comportamento de compra das mulheres?

Claro que devem ter feito. Aliás, em continuação à minha visão depressiva da nossa sociedade, parece que tudo já foi feito/descoberto/pensado. Esse é um pensamento recorrente, assim como me é recorrente pensar quanta verdade existe no filme Clube da Luta. Amo esse filme. Amo Tyler Durden. Eles nos destroça, nos derruba, nos nocauteia para nos libertar. Mas é em vão porque a gente sempre acha formas de justificar o supérfluo, o fútil...de encapá-lo como essencial. Quem nunca arranjou argumentos mirabolantes pra levar pra casa a décima  segunda sapatilha (insira aqui o objeto que faz seus olhos marejarem, suas pernas tremerem e sua consciência ficar obnubilada) que atire a primeira pedra.

E aí na minha linha de raciocínio, que é totalmente visual, logo em seguida à Clube da Luta vem 1492 - a descoberta do paraíso. Um filme lindo, emocionante. Acho tudo perfeito: fotografia, trilha sonora (Vangelis), atuações e o enredo que trata da busca de Colombo por descobrir a América. Eu penso nesse filme porque mesmo com todas as dificuldades, limites, fracassos....havia brilho nos olhos daquele homem. Havia paixão, havia desafio, havia motivação por algo maior, uma obsessão que beirava a loucura. As descobertas literalmente mudavam o mundo. 

Quais são as nossas motivações hoje? Comprar um apartamento com varanda gourmet onde comeremos a lasanha congelada ou o suflê de brócolis da Sadia? Comprar um carro que nos acorrenta por 05 anos a uma dívida, que nem bem acabou de ser paga, já é substituída por outra? Talvez o home theater exposto na sala nos traga alento exibindo os grandes épicos ou as narrativas fatiadas, fazendo-nos viver dia após dia por procuração imaginária, buscando nos heróis as emoções que já não temos.

Nesse momento eu tive que voltar ao início do texto para saber como cheguei aqui. Creiam, eu vim pra falar que a cada look do dia que vejo, começa a se armar em minha mente a lista infinita de itens essenciais para montar aquele look em mim. Ou seja, me aproximo mais a mais do consumismo desenfreado, coisa que tento, com grande custo, controlar. Mas vejam como é esse negócio de associação livre, uma coisa leva a outra e quando você vê, já está a km de onde começou.

Acho que vou ali ver o mais recente episódio de The Vampire Diaries. Sim, eu assisto TVD. E gosto muito. Também vejo True Blood, que é tão tosco, em muitos aspectos, que chega a ser muito bom. Não, eu não gosto de Crepúsculo, pelo simples fato de que os diálogos são de uma pobreza franciscana e isso me dá um sono do cão. 

Aliás, essa onda vampiresca também me faz pensar de onde vem tanto amor pelos seres da noite. Eu poderia dizer que acho que tem a ver com o medo da morte e a atração pela imortalidade, juventude eterna e sensualidade dos vampiros. Notem: vampirismo é um tema que mexe com elementos cabais da humanidade: o medo da morte, o medo de envelhecer e o sexo. Mas acho que vou apenas relaxar e pensar que é porque as meninas acham Robert Pattison lindo. 

Nenhum comentário: