26 fevereiro 2012

Conversas de domingo...

Olá pessoas!





Vocês já devem ter notado que estou tentando estabelecer uma ordem nas postagens, não é?


O que...não notaram?! rs... 


Ok, eu explico: estou tentando (eu digo tentando porque hoje a ideia é essa, mas pode ser que não dê certo, pode ser que fique chato, pode ser que ninguém goste...nem eu..e isso mude!) estabelecer dias fixos para cada tema.


Observem que as resenhas estão saindo às segundas, os comentários sobre séries aparecem às quartas, aos sábados vocês verão divulgação de editoras e aos domingos teremos o tema que estréia hoje: as conversas de domingo.



Sendo o domingo o primeiro dia da semana, acho que ele combina bem com posts mais reflexivos, de ajustes, avisos, mudanças, ou seja, tudo aquilo que é mais pessoal e onde eu converso como vocês, moldando, a cada post, a cara do blog.


Esse post iria ao ar ontem, mas ficou guardado porque ainda estava pensando se ele já estava maduro o suficiente para ser publicado. Ainda não sei se está, mas uma série de elementos, aparentemente aleatórios, se juntaram para me estimular a escrevê-lo. 


Fui instigada pelas postagens da da Mariana no blog Marizoch e da Patricia do blog Ainda MininaMá , pelos posts do blog Vergonha Literária (outro dia falo dele por aqui mas, adianto que, a despeito da polêmica, tem muita coisa ali que merece reflexão sim!), mas a frase estopim desse post eu li no twitter e acho que foi postada pela Daiane do blog No universo da Literatura; ela disse que, mais que seguidores, quer leitores. É isso que eu quero também e, por isso, achei que cabia ser sincera comigo e com vocês.


São quase 2 da manhã e cá estou eu fazendo o que? Pensando no blog. Ou melhor, pensando no tipo de blog que quero ter, no objetivo disso aqui. "Você já falou isso!"...alguém poderá dizer, e, na verdade eu falei mesmo uma coisa parecida. E falarei ainda muitas vezes porque acho que é um questionamento que a gente deve se fazer sempre, seja qual for a atividade desempenhada.

Enquanto penso nesse post, tentando escrever de forma minimamente inteligível e sem parecer aqueles bêbados em final de festa, passeio por três blogs que descobri recentemente e dos quais tenho gostado MUITO (falarei deles em outro post, ok...segurem a curiosidade!). Eles não se assemelham à grande parte dos blogs com os quais tenho contato e acho que isso faz toda a diferença. Por que?

1. Eles não têm necessariamente 1 milhão de seguidores;

2. Eles não têm parceria com 1 milhão de editoras (2 deles nem tem parceria alguma!);

3. Eles fazem resenhas mais longas e reflexivas, cheias de links, perguntas (e que nunca, jamais, em tempo algum são sinopses disfarçadas de resenhas);

4. Eles não falam apenas dos livros da moda;


5. Eles me fazem pensar.

Esses cinco elementos me fizeram devorar seus posts como se não houvesse amanhã. Me fizeram comentar sem necessidade de ganhar prêmio. Me fizeram segui-los sem necessidade de pedido. Eu os adicionei porque não quero me perder destes espaços que me fizeram repensar o meu próprio espaço.

Esse não é um post sobre ser o melhor ou o pior. Este é um post que questiona o tipo de leitura bancária que eu não quero ter. Eu não quero ler 10 livros em um mês, sendo que 8 deles possivelmente não me acrescentarão nada. Eu não quero implorar por seguidores. Eu não quero dizer que todos os livros que li são ótimos. Eu não quero dizer que todos os lançamentos são super esperados. 


Alguém está me obrigando a isso? Não. Mas é um risco grande quando se sente que o olho brilhou ao receber o primeiro livro para resenha ou o primeiro release de lançamento.


Gente, eu fiquei tão feliz com os comentários nas postagens do Carnaval, tão feliz com os comentários na resenha que a minha amiga convidada fez! Os números no GFC me deixam feliz, claro, mas não me dizem quem são vocês e o que pensam, não me permitem responder, dialogar.


E daí que, na contramão de tudo isso eu olho e vejo um banner com uma promoção vigente até alcançar 220 seguidores. Por que? Não sei. O que sei é que esta é a última vez que farei promoção nesses moldes. Eu quero seguidores? Claro! As parcerias são, em certa medida, avaliadas por aí e também é uma massagem no ego saber que pessoas acompanham o que você faz (embora a gente saiba dos perfis fakes e do fato de que muita gente clica para seguir, mas nunca mais volta!).


Eu seria muito hipócrita se dissesse que não quero ter parceria, que não é legal (especialmente quando a editora é super atenciosa e dedicada) receber livros que acabaram de ser lançados ou poder escolher qualquer um do catálogo para resenhar, além dos kits e brindes exclusivos. Mas a verdade é que as parcerias que eu consegui, em sua maioria, apostaram no blog logo no comecinho dele (e hoje eu ainda nem cheguei aos 200 seguidores!) então não foram números que as atraíram.


Sendo assim, vamos fazer um acordo? Um contrato que, ao definir, nos liberta?


1. As resenhas contarão SEMPRE com a minha opinião sincera sobre os livros, sejam eles fruto de parceria ou não. Tentei montar um modelo a seguir em todas as resenhas: como conheci o autor(a), edição (capa, material, acabamento etc), o livro (a história em si), curiosidade, ficha técnica.


2. As promoções continuarão a existir (CLARO!), mas não serão condicionadas a atingir x números de seguidores (embora a regra de seguir o blog ainda permaneça. Como eu disse, preciso de seguidores, só não quero ficar refém disso) e sim por prazos.


3. Pretendo manter o Top Comentarista, mas os prêmios vão depender do que eu for recebendo das editoras, ok.


4. Críticas e sugestões serão sempre bem vindas, desde que feitas com o mesmo respeito que lhes dedico.




Acho que por hoje é isso que tenho pra conversar com vocês. Sobre a promoção de 220 seguidores, em breve postarei informado o prazo de fechamento da mesma.


Um beijo e até mais.



Nay.

Nenhum comentário: