17 maio 2012

Eu, o blog e as editoras

Olá pessoas!

Todo mundo bem? Espero que sim!

O post de hoje não pretende ser polêmico, mas o tema acaba sendo, afinal, quem nunca viu os diversos dramas, embates e quase tsunamis por causa da relação entre blogs literários e editoras? 

Eu sei que muita gente já falou sobre isso, mas acho importante deixar claro para vocês como as coisas acontecem por aqui, e, consequentemente, o que vocês podem esperar das resenhas, comentários sobre livros e afins.

Alguém costuma olhar a barrinha de parceiros? Sim? Não? Enfim, quem já está aqui por um tempo deve ter notado que algumas editoras sumiram do espaço de parcerias, enquanto outras apareceram do nada. Para explicar isso, preciso remontar à pré-história do Dignidade não cabe aqui (tem enquete sobre o nome ali em cima. Clica ali, vai!).

Acontece que, quando decidi mudar o foco do blog, pensei, depois de conhecer alguns blogs literários muito interessantes e inspiradores, que eu gostaria de compartilhar as minhas leituras, minhas ideias, dúvidas, além de receber o feedback de outras pessoas que gostassem de ler tanto quanto eu. 

Eu tinha uma pilha de livros acumulados, mas sem ritmo nenhum para a leitura: começava, abandonava, não focava, tinha dificuldade de me concentrar. Reorganizar o blog me ajudou muito a me organizar como leitora, retomar a voracidade que um dia eu perdi por aí. Escolhi As Crônicas de Nárnia para começar e fui resenhando, como se não houvesse amanhã...rs.

Eu não lembro bem quando nem como cheguei ao tema das parcerias, mas lembro bem que a Martin Claret e a Novo Conceito foram as primeiras a confiar no blog. Assim, veio outra e mais outra e, em dado momento, com uma pilha de livros e uma série de insatisfações eu precisei parar e pensar: o que é mesmo que eu quero fazer aqui? 

A resposta eu ainda não tenho. Talvez o blog fique assim, mudando sempre, mas uma coisa é certa: esse espaço é algo muito prazeroso para mim. Ter parcerias é bom? É, mas apenas se você tiver parceiros que realmente entendam a necessidade de que esta seja uma via de mão dupla e que te respeitem enquanto leitor. 

Leitura é amor (pra mim, é!), por isso, ela também precisa de tempo, de química, de reflexão. Às vezes acontece a paixão e você devora livros em sequência, outras vezes a ressaca literária te assombra e você não consegue ler nem o catálogo para pedir a pizza. Tem livro que é um amante ciumento, exigindo atenção quase sufocante, enquanto outros são amores de verão, leves e descompromissados. Essa é a graça, a arte, o fascínio. Cada vez que um livro é aberto, eu me sinto como se entregasse meu bilhete e tomasse meu assento em uma viagem de destino incerto e, com sorte, instigante.

Pensando nisso, avaliei as editoras com as quais tenho/tinha parceria e decidi encerrar quatro delas (uma nem chegou a figurar aqui). Não vou citar os nomes, é claro, mas basicamente, os problemas se referiam à:

a) Em meses de parceria não houve envio de sequer um livro. Enquanto isso, os e-mails solicitando divulgação povoariam cidades;

b) Diferença na relação com os diversos blogs. Explico: envio de exemplares para alguns (grandes) e nada para os outros. A justificativa? "Não podemos ter o privilégio de mandar os livros para todos" - e eu pergunto: porque fecha tantas parceria, então?! E o pior: você questionar isso e a editora negar ter enviado, enquanto você vê os sorteios, as resenhas e ainda confirma diretamente com os blogueiros;

c) Engessamento da relação. Muita exigência e pouca compensação. Obrigatoriedade. Regras inegociáveis. Produção incessante de promoções. Enfim, eu não sou uma máquina, meu blog não é um canal de vendas. Isso não não é outdoor.

Eu sei que nesse momento vai ter gente pensando: ela queria livros e as editoras não mandaram, por isso ela encerrou. 

Bom, não é só isso, simples assim, mas, ao mesmo tempo, também é isso. Esse é um blog com foco literário...e tem parcerias com editoras. Se elas não enviarem livros, sejam lançamentos ou não, para que eu leia e dê minha opinião...que raios de parceria é essa?! Agora, a forma e frequência dos envios, bem como a maior ou menor liberdade de escolha dos livros vai variar de editora para editora. Esses são outros 500 e cabe ao blogueiro concordar/aceitar ou não as diversas políticas de parceria. 

Se alguém está disposto a encher seu blog com uma enxurrada de propagandas, indicações de todo e qualquer livro publicado pela editora (alguns dos quais você, provavelmente, não leria) em troca de uma oportunidade em sorteio, de séculos em séculos, ou para ganhar uma mísera vaguinha quando e, se houver, cota de divulgação...ótimo. Eu não estou.


Desse modo, as editoras que aparecem ali ao lado são aquelas que, até o dado momento me respeitaram como leitora, oferecendo liberdade (em variados graus, claro) para escolher as minhas leituras e emitir opinião, seja ela qual for. Não me sinto pressionada por nenhuma delas, tenho a disposição excelentes catálogos e as pessoas à frente da relação com os blogs sempre respondem às minhas mensagens e solicitações, se fazendo presentes, responsáveis e atenciosas.

Não vou me obrigar a ler o que não quero, não vou me obrigar a prazos, não vou me obrigar a elogiar e/ou indicar o que não quero/gostei/conheço. Poderia aqui dizer que não farei isso por respeito a vocês e, é claro, que esse respeito existe, mas, antes disso, existe o respeito a mim.


"A vida é muito curta para cafés ruins", diz algum anônimo no Tumblr. Eu concordo e transporto essa ideia para a leitura. A vida é muito curta para que eu, tendo tantos desejos literários e sabendo que muitos não serão realizados, a desperdice com pequenas birras, tensas obrigações e grandes decepções.

Se um dia chegar à conclusão que não vale mais à pena ter parceria com editoras, certamente cada uma delas receberá uma mensagem respeitosa e clara sobre o fim da nossa relação, mas esse blog, seguirá adiante, afinal, ele nasceu sem parcerias e a minha pilha de livros comprados é bem maior que a de livros recebidos.

É isso. Ouvindo o novo cd de John Mayer (Born and Raised - ouçam, comprem, amem, viciem...), eu deixo um beijo pra cada e gostaria que vocês dessem um oi para as já conhecidas:











 

                               
                   E dêem as boas vindas às novas editoras parceiras:


 




Até mais! :)

2 comentários:

Lilian Britto disse...

Eu concordo com exatamente tudo que vc disse!! Na minha barrinha de parcerias tbem sumiu um montão de editoras! Ué, não me davam feedback e acontecia o mesmo q com vc: alguns blogs, os grandes, recebiam material e o meu nunca recebeu nada. Eu gosto de ler e parceria é uma troca: a editora me dá o material, no caso, o livro e eu faço a divulgação. Isso é parceria, é uma relação de troca.
Ótimo post!
Beijos, bom final de semana =*

P.S.: Super obrigada pela ajuda lá no Twitter sobre o livro q demora 30 dias p ser trocado >.<

@morenalilica
http://doceinsensatez.com/blog

Jacqueline Braga disse...

Amei o post. Super concordo com você. Essa semana exclui umas 4 editoras da área de parceiros, mas são aquelas editoras que nunca entram em contato, nem pra envio de release, nem nada. Uma delas foi o mesmo motivo que o seu: perguntei como funcionava a política, e a tal editora me disse que eles não tinham isso, que o envio de livros era feito para o blog que eles escolhiam, e quando escolhiam (ou seja, blogs grandes).
A outra nunca entrou em contato, só aceitou a parceria e fim de papo (landmarck).
A editora giz editorial e baldon rodaram pelo mesmo motivo.
Resumindo: só ficaram as editoras sérias e que tratam a parceria com blogs literários com respeito.
Acho que se nao tem condição de enviar o livro, então não deveriam fazer parcerias com tantos blogs. Mas eles querem divulgação, e eu só divulgo aquilo que eu acho interessante no meu blog. Não vendo meu espaço para receber livros. Até porque eu compro muito livros, mais do que recebo, e não fico dependendo de editora para ter um livro.
No mínimo é preciso existir respeito com as parcerias, e com os blogs.
bjos