06 maio 2013

Resenha: Um piano para cavalos altos

Olá pessoas!


“As palavras têm força, abrem e fecham portas”

A resenha de hoje é sobre um livro enviado pela editora parceira Leya e tem o excêntrico nome de “Um piano para cavalos altos”.

Pensei bastante nas palavras escolhidas para apresentar esta leitura a vocês, pois eu não tinha certeza se seria capaz de expressar todas as sensações despertadas por ela.

Empadas de carne. Um crematório. Militares. Dificuldade para urinar. Um menino amarrado ao piano. Favores sexuais. Zonas separadas por cores.

Quantas bizarrices cabem numa história? Pelo visto, MUITAS. E, no meio de tudo isso: Um Mensageiro.

Um piano para cavalos altos é uma espécie de Distopia na qual, após o “Grande Desastre”, a cidade foi cercada por um muro, deixando de fora uma impenetrável floresta tecnicamente habitada por lobos. Como cenários, ainda temos a Fábrica, o Hospital, o Presídio, a casa do diretor, espaços em que se desenrolam as mais improváveis e instigantes histórias criadas pela fantástica imaginação de Sandro William Junqueira, um autor português que me fez ter vontade de ler toda e cada linha que ele já escreveu.

O próprio autor fez um vídeo apresentado o livro e apontou o poder como sua temática chave; de fato, o que vemos são diversas formas de poder exercidas e mantidas através de elementos básicos, quase primitivos, como o medo, o sexo. 


Todo mundo ali está faminto de alguma coisa ou de alguém e é uma fome que nunca cessa, bocas que nunca param de desejar.


E é em meio a essa fome que o autor coloca na boca de seus personagens a ideia de que “Deus é mau arquiteto, não soube desenhar o coração das pessoas” e que “o coração é uma máquina de costura. Cose as pessoas umas as outras”.

Acredito que qualquer comentário a mais seja spoiler. Esse livro, como citei em alguns vídeos, merece ser lido algumas vezes, porque uma primeira leitura não basta para tudo que o autor quis nos contar. Destaco como partes incríveis, sacadas geniais, os ditados do Ministro Calvo e o discurso para o partido. Sensacional!



Recomendo muito a leitura. Mais que isso: recomendo que saiam agora e consigam um exemplar de Um piano para cavalos altos. Vale o esforço. Com folga.

Um beijo e até mais!




Nenhum comentário: