21 janeiro 2014

Notícias

Olá pessoas!

Eu podia estar matando, podia estar roubando...

#oremos! Isso lá é forma de começar um post?

Melhor seria dizer que eu poderia vir aqui pra contar de mais uma leitura finalizada, mas, acontece que ela faz parte de um novo projeto do blog/canal. 

A resenha tá prontinha e provavelmente sairá no final de semana, quando pretendo colocar no ar também o vídeo que explicará o projeto. Enquanto isso, estou fazendo duas leituras excelentes: A maldição de Domarö e Reconhecimento de padrões, o primeiro, uma espécie de terror como Lindqvist bem sabe fazer e o outro trazendo a ficção cientifica de alta qualidade. 

Em breve haverá notícias também.

Como timing e coerência nem sempre são marcas do blog...rs, ainda trarei a retrospectiva do blog/canal, as leituras feitas em dezembro e o TOP 5 leituras de 2013. Sejam fofos comigo e digam: eba!

Com a chegada de um emprego novo, não em substituição, mas em adição ao que já tenho, meus dias ficaram mais corridos; ainda estou me organizando e a diminuição da frequência de posts e vídeos nesse começo de ano é consequência disso. Mas, calma aí que eu já tô pegando o ritmo!

Obrigada pela companhia de sempre. Se você ainda não conhece o canal, dá uma passadinha lá: Dignidade não cabe aqui. Se gostar, inscreva-se e fique à vontade. 

Também estou no facebook, twitter, Tumblr e Instagram.

Há várias novidades nos planos, como, por exemplo, o fato de que pretendo continuar falando muito e sempre das minhas leituras, mas quero trazer a cara mais pessoal que o blog já teve. Quem passeia por aqui há mais tempo, deve lembrar que esse espaço já teve muitas caras, especialmente, já teve muito mais textos sobre o dia a dia, observações, crônicas e até esboços de contos. Isso se diluiu, pausou, sumiu, voltou, mas se escondeu de novo. Acho que tá na hora de voltar. 

Em 2013 eu vi e aprendi muita coisa nesse mundo de blogs/vlogs. Vou falar um pouco disso na retrospectiva. Pensei muitas coisas, li, ouvi, enfim. O Dignidade não cabe aqui, que nasceu com esse nome estranho, nunca foi monotemático, nem pretende ser; eu quero que esse lugar tenha cada vez mais a minha cara, tenha inconfundivelmente, o meu jeito.

Um beijo pra cada um e até mais!

Nenhum comentário: