13 abril 2014

Não perdoo Noé nem Peter Jackson!

Oi.

Esse blog continua ativo, as leituras continuam sendo feitas e a vida segue seu rumo. A ausência de posts se justifica única e exclusivamente pela igualmente ausente inspiração para escrever um texto que seja minimamente interessante de ser lido, por mim, inclusive.

Eu assisti Noé e pensei em vir aqui comentar com vocês, mas, sabe, não tinha muita coisa a falar além de que gostei do efeito 3D, mesmo tendo que equilibrar os óculos do Cinemark nos meus óculos de grau; os óculos eram grandes e escorregavam um pouco, me obrigando a usar o dedo indicador como suporte. Sobre o filme em si, ficava me perguntando por que a Hermione gritava tanto, lembrando que o Russel Crowe nunca conseguiu repetir sua gatice de Gladiador, especulando se aquele cabelo da Jennifer Connelly, preto como a asa da graúna, era original ou pintado. Também me dei conta de que nunca perdoarei Noé pela inclusão das baratas na Arca. Desnecessário.

Pensei também em comentar sobre O Hobbit- A desolação de Smaug, mas aquela foi uma experiência tão bizarra que eu achei que vocês não mereciam ler minhas lamúrias. Xinguei as próximas 100 encarnações de Peter Jackson por ele ter transformado uma história simples, bem contada e linda, numa espécie de jogo de vídeo game; a cena dos barris me remeteu imediatamente à Sonic, The Hedgehog – quem jogou vídeo game nos anos 90 vai lembrar.

Como vocês podem ver, nada de edificante tem saído do meu teclado, merecendo a atenção de vocês, que poderiam estar lendo, comendo ou mandando beijinho no ombro para os inimigos (sim, porque a inveja, o recalque e a vingança não são características exclusivamente femininas, lembrem disso).

Assim como Neo, eu escolhi a pílula vermelha e assim comecei a ler Divergente. Em vez de dizer se gostei ou não, é melhor relatar que o li em 2 dias...tentei resistir, mas já estou em 70% da leitura de Insurgente. É, no passo que a coisa vai, parece que Convergente será devorado, antes mesmo da estréia da adaptação do livro 1 nos cinemas.


Fico por aqui. Um beijo pra cada, até mais!

Nenhum comentário: